• Atendimento
  • Portal Geográfico
  • Banner COVID19
  • Banner Emprego OAZ
  • Banner Medidas Emergência
  • Banner Estamos on
  • Banner Por um país com bom ar
  • Banner Andante
  • Banner Arquivo municipal digital
  • Banner Memórias OAZ
  • Banner IFRRU
  • Banner Portugal 2020
  • Banner A minha rua
  • Banner INDAQUA

EDV avança com primeiro projecto de acessibilidade supramunicipal do país

Data: 31/03/2010
Oliveira de Azeméis
Projecto supramunicipal reúne a participação dos cinco municípios do Entre Douro e Vouga

A gestão urbanística e os instrumentos de planeamento «devem ser mais rigorosos» porque irão «melhorar e aumentar a acessibilidade nos municípios», defendeu hoje o presidente da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (AMTSM) na apresentação do Projecto Integrado para a Promoção da Acessibilidade no Entre Douro e Vouga.

O projecto supramunicipal – o primeiro no país envolvendo vários municípios – implica um investimento de quase 200 mil euros e visa eliminar as barreiras arquitectónicas nos concelhos de Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, São João da Madeira, Arouca e Santa Maria da Feira.

«Temos que ser cada vez mais exigentes em questões fundamentais como o planeamento e a gestão», afirmou o presidente da AMTSM, considerando «a acessibilidade um importante factor de competitividade e de atracção com implicações ao nível da riqueza, do emprego e do turismo».

«É missão de todos quebrarmos as barreiras arquitectónicas sendo certo que, na matéria das acessibilidades, não precisamos de mais leis», observou Hermínio Loureiro.

«O que precisamos é de cumprir as leis existentes, demonstrar mais cidadania e respeito pelos cidadãos e reforçar a fiscalização», explicou o presidente da AMTSM e autarca da Câmara de Oliveira de Azeméis.

«Passou-se muito tempo em Portugal sem se ter feito nada nesta matéria», disse Hermínio Loureiro, sublinhando que a questão da acessibilidade dos cidadãos «é um problema de todos e não só de alguns».

Além das barreiras físicas Hermínio Loureiro entende ser fundamental «vencer as barreiras psicológicas» e apostar na «sensibilização da sociedade».

«Com este estudo estamos, na região do Entre Douro e Vouga, a dar um contributo decisivo para uma sociedade mais inclusiva e com maiores índices de qualidade de vida», disse o responsável da AMTSM, observando ainda que «o EDV está a dar um excelente exemplo de como se diagnostica os problemas e se encontram soluções para eles».

A mobilidade afecta não só idosos mas também crianças, mulheres grávidas ou pessoas temporariamente incapacitadas em resultado de acidentes. Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), 60 por cento da população dos seus estados-membros tem mobilidade reduzida.

O número foi avançado por Paula Teles, a coordenadora do estudo apresentado esta manhã na presença dos presidentes dos cinco municípios do Entre Douro e Vouga.

«Se os territórios quiserem ser competitivos eles terão que eliminar as suas barreiras», disse Paula Teles, defendendo a inclusão desta matéria nas «agendas» das autarquias dada a sua importância nas políticas actuais das cidades.

O estudo iniciou-se em 2009 com a inventariação dos principais edifícios (câmaras municipais, juntas de freguesia, tribunais, finanças, Segurança Social, centros de Saúde, escolas, museus, entre outros) a serem objecto de diagnóstico e análise.

Foram identificados nos concelhos de Arouca, Oliveira de Azeméis, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira e Vale de Cambra 806 equipamentos públicos e de instituições sem fins lucrativos. Registaram-se ainda os centros urbanos.

O projecto desenvolve-se em quatro fases: elaboração de diagnóstico regional; acções de formação e sensibilização; elaboração de manual de boas práticas no domínio da acessibilidade e elaboração dos planos municipais de promoção da acessibilidade.

O Projecto Integrado para a Promoção da Acessibilidade no Entre Douro e Vouga resulta de uma candidatura aprovada pelo Programa Operacional do Potencial Humano (POPH).

GALERIA DE IMAGENS
  • Muito público assistiu à apresentação do estudo
  • Presidentes das câmaras abrangidas pelo projecto reflectiram sobre as questões da acessibilidade nos seus municípios
  • Aspecto do público presente
  • Hermínio Loureiro, presidente da autarquia de Oliveira de Azeméis, apresentou a realidade do concelho ao nível das acessibilidades
  • Paula Teles, coordenadora do estudo
  • Facebook Instagram Twitter Iporto - Agendas IPORTO
  • Azeméis Educa Arquivo Municipal Biblioteca Municipal Ferreira de Castro Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis Loja Ponto Ja
  • Piscina Municipal de Oliveira de Azeméis Parque de La Salette Parque Temático Molinológico Academia de música Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis
Valid XHTML 1.0 Transitional CSS válido! Level Triple-A conformance icon, W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0 Símbolo de Acessibilidade à Web
CM Oaz - Todos os direitos reservados Largo da República, 3720-240 Oliveira de Azeméis [email protected]