• Atendimento
  • Portal Geográfico
  • Banner Projeto A NOSSA FREGUESIA...
  • Banner COVID19
  • Banner Emprego OAZ
  • Banner Medidas Emergência
  • Banner Estamos on
  • Banner Por um país com bom ar
  • Banner Andante
  • Banner Arquivo municipal digital
  • Banner Memórias OAZ
  • Banner IFRRU
  • Banner Portugal 2020
  • Banner A minha rua
  • Banner INDAQUA

Tecedeira Dona Júlia (Em memória)

Oliveira de Azeméis

A “Ti Júlia”, como todos a conheciam, faleceu após dias desta entrevista. Numa simples conversa, conseguimos logo perceber a boa pessoa que era, genuína, humilde e carinhosa. A Câmara Municipal, com a devida autorização dos seus familiares, publica a sua entrevista como homenagem.

Na freguesia de Macieira de Sarnes vivia Júlia Emília Costa, tecedeira. Foi tecedeira durante muitos anos e, é dessa maneira que todos a recordam, a “Ti júlia” de lenço na cabeça, avental feito por ela, manguitos e sempre muito curvada e muito amiga das crianças.         

Apesar dos seus 88 anos, e da sua memória já não ser o que era, todas as memórias antigas prevalecem intactas dentro da cabeça da Dona Júlia. Na época, as raparigas novas saíam de casa para ir servir em casas ricas, mas a Dona Júlia preferiu ficar junto da sua mãe e aprender a tecer “A minha mãe ralhava-me para eu aprender a tecer bem”, disse. Fazia tapetes, passadeiras e colchas de algodão que vendia, mas também oferecia a muitas pessoas “Eu dava, porque me vinham trazer muitos farrapos para fazer tiras”, referiu.

Tinha clientes sobretudo de Macieira de Sarnes e São João da Madeira, todos frequentavam a sua casa, para a ver tecer e conversar. Era uma casa de portas abertas, principalmente para as crianças. Nunca casou e não teve filhos, mas sempre fez questão de estar rodeada de crianças “Eu chamava as crianças e punha-as num banco corrido. Dava-lhes sempre sopa e broa que eu fazia”.

Eram estas crianças que também a ajudavam a por o algodão no tear. Todos se lembram de ver a tecedeira marcar o algodão na urdideira com uma couve. Deixou de tecer em 2005, o que lhe restou foram as memórias e a postura curvada que o tear lhe ofereceu. Simples e genuína, foi assim que a encontrámos na sua casa, decorada com os seus tapetes e passadeiras, de várias cores.

Até sempre Dona Júlia!


GALERIA DE IMAGENS
  • Facebook Instagram Twitter Iporto - Agendas IPORTO
  • Azeméis Educa Arquivo Municipal Biblioteca Municipal Ferreira de Castro Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis Loja Ponto Ja
  • Piscina Municipal de Oliveira de Azeméis Parque de La Salette Parque Temático Molinológico Academia de música Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis
Valid XHTML 1.0 Transitional CSS válido! Level Triple-A conformance icon, W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0 Símbolo de Acessibilidade à Web
CM Oaz - Todos os direitos reservados Largo da República, 3720-240 Oliveira de Azeméis [email protected]