• Atendimento
  • Portal Geográfico
  • Banner Por um país com bom ar
  • Banner Andante
  • Banner Arquivo municipal digital
  • Banner Memórias OAZ
  • Banner IFRRU
  • Banner Portugal 2020
  • Banner A minha rua
  • Banner INDAQUA

Oliveira de Azeméis vai ter paisagem protegida do rio Antuã

Data: 01/10/2010
Oliveira de Azeméis
A paisagem protegida do rio Antuã abrange 206 hectares das freguesias de Macinhata da Seixa, Oliveira de Azeméis, Travanca e Ul

A Câmara de Oliveira de Azeméis vai avançar com a criação da Paisagem Protegida do Rio Antuã. O projecto envolve geograficamente as freguesias de Macinhata da Seixa, Oliveira de Azeméis, Travanca e Ul numa área de 206 hectares de terreno situados, na sua maioria, nos regimes de Reserva Agrícola e Ecológica Nacional.

«O projecto incluía inicialmente uma área da freguesia de Pindelo mas esta teve de ser excluída por causa da construção da A32», afirma o vereador do Planeamento e Urbanismo, recordando que o decreto-lei nº 142/2008 introduziu alterações aos instrumentos de conservação da natureza atribuindo aos municípios a competência para criarem áreas protegidas de âmbito local e regional.

«A autarquia vai efectuar intervenções de requalificação e valorização do corredor do rio Antuã permitindo às pessoas usufruírem de um espaço rural qualificado», refere Ricardo Tavares.

«Não serão feitas edificações especiais tendo em conta que estamos a falar de cerca de 150 hectares que estão classificados como áreas de reserva pelo que não será permitido construir», alerta o vereador.

«A aprovação do projecto é importante para o acesso em termos de financiamento do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN)», adianta.

A Paisagem Protegida do Rio Antuã engloba duas áreas, uma delas com 204 hectares que se desenvolve ao longo do vale do rio desde o lugar da Escravelheira, na cidade, até ao lugar de Entre-os-Rios, no limite das freguesias de Ul e Loureiro.

A autarquia pretende requalificar ambientalmente o território, reaproximar a população ao rio, preservar os valores naturais e culturais, adequar os espaços ao usufruto humano, promover a biodiversidade e recuperar o património edificado.

Segundo a proposta técnica, os objectivos envolvem a «requalificação e recuperação paisagística do rio Antuã», a melhoria dos açudes, levadas, pontes e moinhos, a «despoluição das águas» e a «reconversão florestal» através da substituição de espécies exóticas por vegetação autóctone.

O plano de intervenção inclui ainda «a monitorização da qualidade da água do rio», a implementação de infra-estruturas de saneamento básico que elimine as descargas de efluentes, espaços de lazer e a «promoção da biodiversidade».

O projecto contempla a criação de novos percursos pedonais, acessos viários, instalação de mobiliário urbano, actividades desportivas, construção de um parque de campismo e de um anfiteatro natural destinado a espectáculos e concertos.

O plano, elaborado pelos técnicos de planeamento da autarquia, assenta na qualidade visual da paisagem marcada pela presença do rio Antuã e introduz elementos inovadores como um centro interpretativo ambiental e um pólo educacional constituído por laboratório e observatório de insectos aquáticos visando actividades pedagógicas experimentais.

A gestão da Paisagem Protegida Local do Rio Antuã (PPLRA) é da responsabilidade da autarquia através do Departamento de Planeamento, Gestão Urbanística e Ambiente.

O órgão executivo é constituído pelo presidente do município e dois vogais, um deles designado pelo Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade.

Depois de criada a PPLRA, passam a estar interditos actos com efeitos negativos no ambiente, depósito de entulhos e águas residuais industriais, sucatas, extracção e exploração de recursos geológicos e o exercício da caça e pesca.

Outros actos ficam condicionados à autorização e parecer da Comissão Directiva como a abertura de novas estradas, caminhos ou acessos, obras de construção civil, instalação de painéis e suportes publicitários, escavações, aterros e extracção de inertes, estabelecimento de actividades industriais, turísticas, agrícolas, florestais e pecuárias e a instalação de infra-estruturas eléctricas, de telecomunicações, de gás natural, de saneamento básico e de aproveitamento de energias renováveis.

GALERIA DE IMAGENS
  • Rio Antuã
  • Moínhos do Parque Temático Molinológico, área enquadrada na Paisagem Protegida do Rio Antuã
  • Rio Antuã
  • Carvalhal junto aos campos agrícolas de produção vinícola
  • Rã ibérica frequentemente avistada na área da proposta da paisagem protegida do rio Antuã
  • Moínho existente na área proposta da paisagem protegida do rio Antuã
  • Campos agrícolas que integram a paisagem protegida
  • Paisagem agrícola da área proposta
GALERIA DE SONS
  • Vereador Ricardo Tavares fala do projecto
  • Casa Museu Ferreira de Castro Iporto - Agendas Cineteatro Caracas Concurso de Música Terras de La Salette IPORTO
  • Facebook Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis Arquivo Municipal Academia de música
  • Piscina Municipal de Oliveira de Azeméis Azeméis Educa Twitter Parque Temático Molinológico Parque de La Salette
  • Loja Ponto Ja Biblioteca Municipal Ferreira de Castro Galeria Tomás Costa
Valid XHTML 1.0 Transitional CSS válido! Level Triple-A conformance icon, W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0 Símbolo de Acessibilidade à Web
CM Oaz - Todos os direitos reservados Largo da República, 3720-240 Oliveira de Azeméis [email protected]