• Atendimento
  • Portal Geográfico
  • Banner COVID19
  • Banner Medidas Emergência
  • Banner Estamos on
  • Banner Por um país com bom ar
  • Banner Andante
  • Banner Arquivo municipal digital
  • Banner Memórias OAZ
  • Banner IFRRU
  • Banner Portugal 2020
  • Banner A minha rua
  • Banner INDAQUA

Nogueira do Cravo

Nogueira do Cravo tem como primeira referência escrita um documento datado de 1049, embora o primeiro povoamento remonte a épocas muito mais antigas, como o prova, por exemplo, a terminologia usada na partilha da água de regadio.

Como refere o abade João Domingos Arede "encontram-se aqui vestígios de dominação romana, cujo único relógio natural era o sol e que dividiam o dia em quatro partes, a que chamavam prima, terça, sexta e nona. No sol-posto e na meia-noite, encontram-se referências à cruz do dinheiro, indicativo de um povo cristão, que se supõe terem sido os godos."

Há referências a Nogueira do Cravo na avaliação dos rendimentos das igrejas e mosteiros do País, ordenado por D. Dinis na sequência da Bula dada em Avinhão, a 23 de Maio de 1320, pelo Papa João XXII pela qual lhe concedeu, por três anos, para subsídio de guerra contra os mouros, a décima parte das rendas eclesiásticas do Reino, com excepção dos pertencentes à Ordem do Hospital.

Surgem referências também nas Inquirições Afonsinas na defesa do seu prestígio e do património que via diminuído.

Por volta do século XV, tornou-se propriedade dos Coutinhos, Condes de Marialva, tendo assim iniciado o padroado laical desta freguesia.

Em 1876, a Estatística Paroquial indica que a paróquia é da apresentação dos Duques de Lafões, tendo este direito sido definitivamente extinto pela Lei da Separação de 1911, na sequência da Implantação da República.

Nogueira do Cravo pertenceu ao termo e condado da Feira até 1799, transitando depois para o Município de Oliveira de Azeméis.

De salientar que foi nesta localidade que nasceu o poeta Manuel Godinho, autor de "Luar entre as Palmeiras".

Relativamente ao seu património, Nogueira do Cravo conta com a Igreja Matriz, do século XVIII, as Capelas de Santo Antão e de Nossa Senhora dos Prazeres, os Arcos, a Fonte e os Moínhos do Vale de D. Pedro, as Casas de Martins Portugal e do Lima.

A Capela de Nossa Senhora dos Prazeres representa uma fundação do tipo morgadio capela, instituído pelo abade Miguel Valente. Trata-se de uma pequena preciosidade arquitectónica, pela raridade com que exemplares do mesmo tipo se encontram ainda nesta zona.

Em relação à economia da freguesia, Nogueira do Cravo teve outrora diversas actividades de grande impacto, nomeadamente os barros (jarros, panelas, pratos, copos e barros artísticos), que são referidos na lista dos jurados, fornecidas pelas Inquirições de 1288 às Terras de Santa Maria, onde figuram forneiros e barreiros em Nogueira do Cravo.

O desenvolvimento industrial desta vila terá sido fruto da exploração das Minas do Pintor, uma unidade industrial importante para a região e para o próprio Município, como já foi mencionado anteriormente.

  • Facebook Instagram Twitter Iporto - Agendas IPORTO
  • Azeméis Educa Arquivo Municipal Biblioteca Municipal Ferreira de Castro Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis Loja Ponto Ja
  • Piscina Municipal de Oliveira de Azeméis Parque de La Salette Parque Temático Molinológico Academia de música Centro de Línguas de Oliveira de Azeméis
Valid XHTML 1.0 Transitional CSS válido! Level Triple-A conformance icon, W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0 Símbolo de Acessibilidade à Web
CM Oaz - Todos os direitos reservados Largo da República, 3720-240 Oliveira de Azeméis [email protected]